LARANJEIRAS um "Muséu a Céu Aberto"

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A CHEGANÇA NA TERRA DOS MOUROS E CRISTÃOS.



O movimento Anti Palha da Cana tem a satisfação de parabenizar ao Mestre da Chegança de Laranjeiras, Zé Rolinha, que embarcará no dia 12 de maio para a Espanha onde participará como palestrante de um seminário sobre “Tradições Folclóricas Brasileiras” na Universidade de Alicante. Participará, também, como observador convidado das festas de Mouros e Cristãos da cidade de Valencia, na província espanhola do mesmo nome, onde se concentram as mais importantes celebrações da memória das lutas entre Mouros e Cristãos. A Chegança de Laranjeiras é tributaria dessa tradição.
A oportunidade que chegou para o mestre Zé Rolinha, dá ao povo de Laranjeiras a dimensão da importância cultural da sua atividade folclórica, bem como do potencial desta enquanto atividade econômica, embora a Chegança , como o próprio Zé Rolinha afirma, seja uma manifestação folclórica centenária e como de resto todas as outras manifestações existentes em Laranjeiras, agora começa a receber um apoio mais eficiente e significativo do poder público. O que nos leva a estender este cumprimento ao atual Secretario de Cultura de Laranjeiras, Irineu Fontes, e sua equipe que têm realizado um trabalho efetivo pela cultura de Laranjeiras.

Laranjeiras, maio de 2012
Movimento Antipalha da cana
antipalhadacana@gmail.com

quinta-feira, 3 de maio de 2012

O GRITO DOS PROFESSORES E O SILÊNCIO NA EDUCAÇÃO




Na histórica luta dos trabalhadores por seus direitos destaca-se o celebre e sagrado grito: TRABALHADOR UNIDO, JAMAIS SERÁ VENCIDO! Dias atrás, os trabalhadores professores de Laranjeiras invadiram a prefeitura numa manifestação concreta dessa união, gritando por seus legítimos direitos para gestora e políticos – prefeita e vereadores – respectivamente, que teimam em sonegar e ignorá-los numa demonstração inequívoca de surdez e miopia social e política, bem como de onipotência infantil de ambos, como se estes tivessem o poder de fazer parar a roda do tempo da educação laranjeirense que a cada dia gira com mais velocidade movida pelas forças das transformações sociais econômicas e políticas da sociedade brasileira como toda, e dentro dela a laranjeirense.
Esta reivindicação está a requerer do poder público mais atenção e cuidado em caráter de urgência, ou seja, priorizar o reconhecimento do direito dos professores pelo PSN- PISO SALARAIL NACIONAL, razão pela qual não dá mais para os trabalhadores professores ficarem calados, presos às suas salas de aulas em atividades docentes.
Além do que, se, os professores, juntos não se mobilizarem e em coro não fizerem ouvir a sua voz quem gritará por eles? E este grito precisará ser suficientemente forte para que possa ser ouvido pelo povo de Laranjeiras, tradicionalmente surdo e mudo politicamente. Com este movimento, os professores de Laranjeiras terão além da sua tarefa de sala de aula o compromisso social de alfabetizar politicamente a si mesmo e o povo de Laranjeiras com seu exemplo de coragem e determinação em não se deixar intimidar ou Oprimir.
NÃO, NÃO POSSO PARAR,
SE EU PARO EU PENSO,
SE EU PENSO EU CHORO.
EU CANTO, EU CHORO, EU GRITO,
POIS, UMA ATIVIDADE TÃO IMPORTANTE E TÃO BONITA COMO A EDUCAÇÃO,  
OS POLÍTICOS DE LARANJEIRAS NÃO CONSEGUEM PERCEBER E ENTENDER. [1]


Laranjeiras, maio de 2012
Movimento Antipalha da cana
antipalhadacana@gmail.com
Professoras:   Maura Guanaes
Josivânia Joaquina

[1] Letra adaptada da música “MUNDO MALUCO” de Moacyr Franco.