LARANJEIRAS um "Muséu a Céu Aberto"

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O CONCRETO PARA O TRABALHADOR É O ABSTRATO PARA PALHA DA CANA


Está dada a largada, a campanha política está legalmente autorizada, e para inaugurar esse fato à imprensa local entrevistou o candidato do PSOL, Laurêncio Lisbôa, que nós Movimento Anti Palha da Cana, lemos e convidamos os seguidores do Blog Um Museu A Céu Aberto e os eleitores independentes para juntos refletirmos essa matéria. Comecemos pelo título: Laurêncio: Pré-candidatura, Sonhos de Mudança[1].

Se você é leitor da imprensa local, deve se lembrar de que Juca quando era candidato a candidato foi apresentado como um jovem promissor que representava a ideia do “novo”por esse mesmo jornal. O que é o novo, não é aquilo que não é velho? E velho, neste caso, não estava implicitamente identificado com aquilo que aí sempre esteve? A Varzinhas, a Boa Sorte, o Pinheiro, ou seja, a Palha da Cana, e todos os partidos através dos quais ela já transitou como o UDN, ARENA, PDS, PFL, PSDB, PMDB, PTB, PSC, DEM e outros que no momento não recordamos.  

Então, para a Palha da Cana e qualquer pessoa que pense o “novo”, esse não traz a ideia de mudança, e sim de continuísmo.  É isso que o movimento Anti Palha da Cana TEM DESVELADO O TEMPO TODO que o Juca é uma das faces da Palha da Cana repaginada, de cara nova, maquiada, e D. Marta é outra face escancarada Palha da Cana, isto é, com a cara lavada, sem maquiagem. Assim que, não existe mudança, são as duas caras que a palha da cana está assumindo nesta eleição, ou ganha uma ou a outra, ela sairá sempre vencedora.

REPENSANDO AS 15 RAZOES 




1-    De fato considerando a naturalidade da candidata da Varzinhas, esse é um mérito, porém há outros candidatos também laranjeirenses de nascimento.
2-    Apontar uma concorrência pública que ele venceu, uma vez que sempre prestou serviços a órgãos públicos.
3-    Em compensação o majoritário desta chapa assim que melhorou de vida foi morar zona nobre de Aracaju, “chique né bem?”
4-    Citar ações desenvolvidas pelo candidato a vice correspondente às funções do vereador pela lei orgânica do município. Que não foram somente cativar o eleitor, isto é. As ações têm de ter caráter coletivo.
5-    Pela primeira vez???? Das outras vezes não foram honestas? “Nossa que mico!!!” esse vai pro face...kkkkkk....
6-    Para ser gestor público o que é mais importante? ter sensibilidade social ou nível superior?, o torneiro mecânico de 9 dedos, LULA, não tinha nível superior e foi capaz de mudar a realidade deste país.
7-    Com todo este tempo de experiência trabalhando para a administração pública nunca se posicionou contra a corrupção no estado de Sergipe, sabendo que a prática de corrupção existe, bem debaixo do nariz dele, e sabemos, em tese, por dever de ofício, o contador sabe muito, especialmente, em nossa cidade em que ele exerceu dois mandatos.    
8-    Pois, se ele é conhecedor dos problemas da cidade e nunca fez nada, por todo este tempo, então ele foi omisso e conivente? Ou inocente e ingênuo?
9-    Como vítima de violência só agora que ele pretende fazer alguma coisa? Não pode fazer nada como vereador e vice-prefeito?
10-  E a maioria dos vereadores se atreve a pensar diferente desse sistema de domínio político da palha da Cana? Cite um que pense por conta própria.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

PODEMOS FAZER DIFERENTE!!!


PODEMOS FAZER DIFERENTE!!!

O grupo da Varzinhas me acusa de estar com o grupo do 15, quero deixar claro que MEU GRUPO É O 50, PSOL,  porque nós sim somos a verdadeira mudança, nunca estivemos no poder, e somos povo, sofremos com as mesmas necessidades iguais que todos, sem saúde, sem educação, sem segurança, sem transporte público e mais coisas...não temos serviços públicos de qualidade,  desde sempre, e por isso seguimos neste atraso. Entra e sai Palha da Cana e continuamos parados no tempo, literalmente. Chega dessa troca de poder, sai Varzinhas entra Boa Sorte, sai Boa Sorte entra Pinheiro... A Palha da Cana se revezando no poder da nossa cidade, só para se beneficiarem economicamente, enquanto nós o povo seguimos sem SERVIÇOS PÚBLICOS DE QUALIDADE.

Caluniam-me com o discurso de que estou agredindo a Varzinhas, quero dizer que essas artimanhas não colam, NÃO ESTOU AGREDINDO NINGUÉM, SOMENTE, EXPONHO MINHA INDIGNAÇAO pelo fato desse grupo ter sido destituído do PODER DA NOSSA CIDADE por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, CONDENADOS A DEVOLVER DINHEIRO aos cofres públicos e com a cara mais lavada quer voltar, usando as mesmas armas que os tirou do poder.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

AS ELEIÇÕES ESTÃO CHEGANDO!...


AS ELEIÇÕES ESTÃO CHEGANDO!...

Não faz tanto tempo assim, Laranjeiras apareceu na grande mídia como uma cidadezinha pacata do interior de Sergipe. Quem assim a retratou não a viu como no sábado passado 23/06/2012 quando ocorreram as convenções municipais do PMDB e do PSC para a constituição das chapas que irão concorrer às eleições municipais de 2012.
O centro de Laranjeiras fervilhava de convencionais que com seus automóveis estacionados tornavam quase intransitável aquela área da cidade. Por onde, também, circulavam os moradores, no vai e vem, ocupados em fazer a feira semanal, estes, aparentemente indiferente ao que ali acontecia.
Esses moradores, de fato, fazem parte ou de um contingente de eleitores independentes, insatisfeitos, desagregados por falta de uma liderança política que os articule em torno de um Projeto Alternativo de Governo[1], que venha realizar efetivamente a vocação de Laranjeiras para tornar-se um Centro Cultural e Artístico baseado no seu grande e valioso Patrimônio Histórico Cultural; DIFERENTE deste que tem se mantido no poder municipal nos últimos 50 anos, aproximadamente, isto é, desde quando foram instituídas as prefeituras no Brasil, deste representado pelo Domínio Político de Manutenção no Poder Municipal[2] pela Palha da Cana, embora, dividida, esta, em duas facções, que no presente organizam-se em torno dos partidos políticos PMDB e PSC, com circunstanciais e eventuais alianças políticas com outros partidos por ocasião das eleições. Desde que essas tais alianças assegurem a sua permanência no Poder Municipal.
Desses passantes também fazem parte os eleitores que na sua maioria supostamente alienados, facilmente alcançáveis e dobráveis, tendo em vista vantagens imediatas: “uma feirinha, uns sacos de cimentos, algumas dezenas de blocos, um favor pessoal, ou simplesmente por 50,00 reais”, votos garantidos nas urnas que irão possibilitar mais 4 (quatro) anos no PODER para os convencionais que ali estavam reunidos, altamente concentrados, olhos e ouvidos atentos aos acontecimentos – a elite política de Laranjeiras.