LARANJEIRAS um "Muséu a Céu Aberto"

segunda-feira, 18 de abril de 2016

REAJA, LARANJEIRAS!

     
REAJA, LARANJEIRAS!


     Benjamim, o Burro de George Orwell, dizia que as coisas nunca haviam estado nem nunca haveriam de estar nem muito melhor, nem muito pior. Sendo a fome, o cansaço e a decepção, assim ele afirmava, leis imutáveis da vida. Quem leu a Revolução dos Bichos sabe que de burro Benjamim só tinha as orelhas. E o pessimismo dele vem me fazendo muito sentido. Ontem mais um colega de infância, envolvido com a criminalidade que assola Laranjeiras, foi morto. Do time em que eu jogava quando, aos 9 anos, ganhei a primeira medalha no futebol, pela minhas contas é o quarto morto - nem conto os foragidos e presos.

    O jovem tende a agir sem pensar, age por impulso, sem medo do que vai sentir. Se rende ao som de uma canção, pensa menos com a razão, quebra o protocolo, enfim, se arriscam a fazer. Esse comportamento é explicado sociologicamente, psicologicamente, psiquiatricamente... E é partindo desse principio que muitos preferem despejar a culpa neles. "Tem a natureza ruim mesmo", "Leva o anjinho pra casa". Eu prefiro ser mais profundo, mais realista, julgo que a culpa é da oportunidade boa, que não chega. Na falta dela, a oportunidade errada bate ponto pra levar a alma, e usa todo ímpeto da juventude pra ações autodestrutivas.
   Obviamente a oportunidade boa não é ator de nada, por tabela, a culpa é de quem não a disponibiliza pra quem precisa. Laranjeiras vem perdendo seus jovens, e a evolução do processo não está sendo lenta. As perspectivas são péssimas, a luz do túnel se encontra invisível. Estamos diante de uma prefeitura cínica, que parece viver no mundo da fantasia (mas sabemos que é só aparência, eles estão muito por dentro de tudo), uma câmara inativa e sanguessuga, e uma população passiva a tudo isso - ainda presa a velha polarização. Essa configuração sociopolítica é antiga na cidade, vem de muito antes do meu nascimento. Acontece que hoje, mais do que nunca, as forças que sempre lutaram nessa panorama, estão muito desbalanceadas. 
   Mas é o seguinte: 

  Senhor prefeito: Que o senhor é um incompetente, assim como seus antecessores, eu já sabia. Bastava ouvir seus discursos e conhecer sua história. Não me surpreende. O que me surpreende é a falta de sensibilidade com a cidade. Cresceu e viveu na cidade, esteve exposto as necessidades da comunidade, e mesmo assim parece ignorar. Por favor, pare de querer pautar uma boa administração em obras inúteis e mal feitas. Use o resto desse seu mandato pra tentar fazer algo pelos seus conterrâneos. São seus primos, irmãos, tios, amigos de infância. Por uma infelicidade da cidade, acredito que você tenha mais 4 anos pela frente. Espero que sem a ganância pela reeleição a situação calamitosa da segurança pública da cidade te toque. E que exista preocupação em oferecer lazer e educação de qualidade pra a próxima geração. 

 Senhores vereadores: VÃO PROCURAR UM SUSTENTO COM A FORÇA DE TRABALHO E O SUOR DE VOCÊS. LARGUEM O SALÁRIO DE VEREADOR COMO FORMA DE SUSTENTO SE VOCÊS NÃO PRETENDEM FAZER JUS A FUNÇÃO. Deem espaço a quem se preocupa o mínimo com o povo. A quem deseja fazer algo pelo futuro. A quem quer acabar com a fome e a miséria, porque não os usam como fonte de votos. Senhores bajuladores: Vocês que balançam bandeira e elogiam cegamente qualquer ação de quem vos oferece emprego também são culpados. Não votem pelos cc's oferecidos a vocês e seus familiares. Pensem que com uma administração séria vai ser melhor trabalhar e viver bem na cidade, que ganhar sem trabalhar direito e viver na conjuntura atual. 
   
E a nós jovens digo: Reaja, juventude! Teu nome é vida plena, digam não a morte lenta ou súbita. Somos nós que podemos quebrar essas amarras e dar uma chance a nossos próximos. 
   Os que foram perdidos não voltam. Mas muitos que seguem esse caminho podem ser recuperados. Muitos que entrariam na tortuosidade podem ter a disposição melhores escolhas. E só depende da gente. Da nossa boa vontade. Façam sua parte, vamos limpar o sangue das pedras sabão sobre as quais nossa cidade foi edificada.




15 de abril de 2016
Sávio Luiz Santos Lopes (18 anos)
Laranjeirense
Estudante, cotista, no curso de Medicina na 
Universidade Federal de Porto Alegre -RS